Dono de hotel canino onde Ted morreu alega “fatalidade” e diz que está pagando pelo “erro”

Dono de hotel canino onde Ted morreu alega “fatalidade” e diz que está pagando pelo “erro”

Para o presidente da CPI, deputado Daniel Donizet , o depoimento foi uma “oportunidade de esclarecer o que realmente aconteceu e sanar todas as contradições e dúvidas que vêm cercando esse caso”

Em depoimento à CPI dos Maus-tratos da Câmara Legislativa, nesta segunda-feira (18), o proprietário do Pet Park Hotel, Luciomario de Assunção, afirmou que a morte do cachorrinho Ted foi um “acidente de trabalho, uma fatalidade”. Segundo ele, o cão da raça maltês foi atacado por um outro maior quando o empresário, por descuido, o deixou escapar por uma porta que separava animais de portes diferentes. “Eu não tinha jamais a intenção de expor a vida do cão, muito menos deixar ele com outros cães maiores”, afirmou.

O empresário também relatou que, em dez anos de atuação, nunca houve outro caso grave em seu estabelecimento. “Eu amo os animais. Eu não tenho filhos, tenho cachorros, que eu trato como filhos”. Ao longo do depoimento, Assunção pediu desculpas aos tutores, frisando que está disposto a colaborar da forma que eles quiserem. “Tenho um sentimento de culpa, mas peço perdão pelo meu erro. Eu não quero que isso aconteça de novo. Nem vai acontecer, porque meu negócio praticamente acabou”, ressaltou.

Embora tenha admitido a culpa e se solidarizada com os tutores e seus familiares, o empresário argumentou que já está pagando pelo “erro” que cometeu. “Já estou respondendo a dois processos do Ministério Público por causa do meu erro. Já estou sendo processado, já acabaram com meu negócio, acho que está bom, né gente? Acho que já fui crucificado demais”.

Para o presidente da CPI, deputado Daniel Donizet (PL), o depoimento foi uma “oportunidade de esclarecer o que realmente aconteceu e sanar todas as contradições e dúvidas que vêm cercando esse caso”. Segundo o distrital, as versões falsas, apresentadas anteriormente pelo empresário, aumentaram o sofrimento dos tutores e seus familiares.

“A responsabilidade é toda do senhor. Um hotel de pet tem que tomar muito cuidado, ter muita responsabilidade, porque você está lidando com vidas, e os animais para a gente são como filhos, como o senhor mesmo mencionou”, afirmou o deputado.

Ao final, Donizet disse que a Comissão vai avaliar se outras pessoas deverão ser convocadas “em virtude dos esclarecimentos prestados”.

O caso

O empresário Luciomario de Assunção só admitiu a morte do cachorrinho Ted nas dependências do Pet Park Hotel, no Park Way, após apresentar duas versões contraditórias. Numa delas, alegou que o animal teria sido levado por assaltantes; na outra, que o cão foi furtado dentro de seu veículo enquanto fazia compras. No entanto, a polícia, que encontrou o corpo enterrado no quintal do empresário, concluiu que a morte foi causada por um ataque de outro cão.

Mario Espinheira – Agência CLDF

Da redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.