terça-feira, julho 16, 2024

Colaboradores do HRSM recebem capacitação em três áreas


O Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IgesDF) visa sempre o treinamento e a educação continuada de seus colaboradores. Com isso, por meio da Diretoria de Ensino, Pesquisa e Inovação (Diep), oferece cursos em diversas áreas.

Nesta terça-feira (30), ocorreram, simultaneamente, os cursos de manejo de sonda nasoentérica e administração de medicamentos, no auditório do Hospital Regional de Santa Maria (HRSM) e o curso de cuidados com estomaterapias, no Centro de Simulação Realística do hospital.

O Iges-DF visa sempre o treinamento e a educação continuada de seus colaboradores | Foto: Divulgação/IgesDF

O treinamento sobre manejo de sondas tem o objetivo de capacitar os profissionais no manuseio adequado de sondas, aplicando técnicas corretas, fornecendo os devidos cuidados locais e orientando sobre a administração segura de medicamentos por sonda nasoentérica.

Já o curso de estomaterapias foca no cuidado de excelência aos pacientes com estomias, fístulas, tubos, cateteres, drenos, feridas agudas e crônicas e incontinências urinária e anal.

“O objetivo é a capacitação dos nossos colaboradores, visando a atualização de protocolos e o cuidado de excelência. Além de evitar lesões de pele dos pacientes”, destaca a enfermeira da Diep Gabriela Lara, que ministrou o treinamento de cuidados em estomaterapias. Segundo ela, muitos pacientes utilizam estomias após sofrerem traumas ou devido a algumas doenças como câncer, doença de Chagas e doenças crônicas.

Gabriela Rodrigues é enfermeira do Ambulatório de Estomias do HRSM e viu na capacitação uma oportunidade de esclarecer dúvidas que surgem no dia a dia, ao longo dos atendimentos.

“Eu amei esse curso, foi bastante produtivo, porque consigo me atualizar sobre o manejo adequado de lesões complexas, curativos de estomias e de pé diabético. Este é o público que atendemos diariamente, por isso é bom se capacitar, até para a gente repassar o cuidado adequado para esse paciente conseguir fazer sozinho em casa um curativo, a troca de uma bolsa”, avalia.

*Com informações do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IgesDF)



Source link