segunda-feira, maio 27, 2024

PCDF prende traficante de crack conhecido como “Gigolô” em Ceilândia

Na tarde de ontem (14), a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), por meio da 15ª Delegacia de Polícia (DP), deflagrou a 2ª fase da Operação Capítulo I e prendeu um homem, de 25 anos, conhecido como Gigolô. Ele era um dos principais traficantes de crack da QNN 3 de Ceilândia/DF e já havia conseguido escapar da primeira fase da operação em abril deste ano.

A Operação Capítulo I, em sua primeira fase, realizada no dia 16 de abril, prendeu em flagrante três pessoas por tráfico de drogas na QNN 3 de Ceilândia. Na ocasião, foram apreendidas grandes quantidades de crack, balanças de precisão e dinheiro em espécie.

“Gigolô era um dos alvos principais da operação, mas conseguiu se evadir de sua casa momentos antes da busca domiciliar. Segundo investigações, ele era um dos líderes do tráfico na região, conhecida como 3 da Norte, uma das áreas mais críticas de Ceilândia pelo comércio de drogas”, destaca o delegado-chefe da 15ª DP, João Ataliba Neto.

Segundo as investigações, os traficantes da QNN 3 contam com a atuação de olheiros, que alertam sobre a chegada de veículos da polícia gritando Gigolô. Essa estratégia permitia que os criminosos conseguissem se dispersar antes da ação policial, dificultando a prisão em flagrante.

Após a fuga na 1ª fase, a PCDF representou ao Poder Judiciário pela decretação da prisão preventiva do criminoso. A medida foi deferida e, na tarde de ontem, ele foi localizado em uma padaria na QNM 4 de Ceilândia. Na ocasião, o traficante estava com R$ 2,2 mil, em espécie, quantia que também foi apreendida.

Gigolô já possui diversas passagens pela unidade policial, incluindo tráfico de drogas, porte de munição, porte de drogas para consumo pessoal, ameaça, tentativa de homicídio e corrupção ativa. “Ele já havia sido detido por crimes de tráfico de drogas e porte de munição e se encontrava em regime de prisão domiciliar”, acrescenta o delegado.

O traficante foi indiciado pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico de drogas, crimes que podem resultar em pena de até 25 anos de prisão. Após a formalização da prisão, ele foi recolhido à carceragem da PCDF, onde permanecerá à disposição da Justiça.

A PCDF reitera seu compromisso com o combate ao tráfico de drogas e à criminalidade, buscando garantir a segurança da população. A 15ª DP vem realizando ações de inteligência e investigação para identificar e prender os responsáveis por esse tipo de crime, visando desmantelar as redes de tráfico e combater a venda de drogas em áreas vulneráveis.

Assessoria de Comunicação/DGPC

Nossa missão é investigar!





Source link